26 de junho de 2014

Como perder tempo precioso em 8 passos!


1º passo: Inscrevam-se no IEFP durante 2 anos e aguardem nunca serem chamados para entrevistas de emprego. 

2º,3º,4º,5º,6º,7º,8º passos: Sejam obrigados pela mesma instituição a fazer uma formação, denominada 'Comunicação assertiva e técnicas de procura de emprego' durante 7 manhãs. 

Eu sei que é só a segunda manhã de formação, mas eu sou precoce nas reclamações. Ainda não aprendi nada de nada e estar 4 horas a aprender nada de nada é doloroso. Tão doloroso, que mal saí, fui afogar as mágoas num éclair. Não, não tirei foto. Só me lembrei de vos mostrar o bolinho, quando ele já estava a ser desintegrado pelos meus sucos estomacais. 

É bem mais interessante o pacote do éclair amassado do que as aulas do IEFP


É um curso de 25 horas (graças a Deus, que podia ser bem pior), as minhas opções de escolha era 'fazes agora ou fazes depois, mas fazes' e, apesar de ser uma turma agradável, com pessoas de diversas áreas de formação, cultas e sociáveis, a verdade é que eu podia estar no meu trabalhinho (para todos os efeitos não trabalho) ou a dormir, em vez de estar a fingir que desenvolvo novas competências. A formadora também é excelente, muito boa comunicadora e estou aqui a escrever isto a ver se lhe dou graxa e tenho boa nota no teste. Não, não estou a brincar, há teste! 

Enfim, amanhã há mais. Wish me luck...and patience. 

muah*


15 comentários:

  1. Pois... esses cursos do IEFP são uma mais-valia. Não uma mais-valia em termos profissionais. São uma "mais valia deixarem-se de tangas".
    Tenho um familiar que deu formação no IEFP, quando aquilo dava dinheiro, antes do Nuno Crato ter mascarado o desemprego dos professores, dando-lhes os lugares dos formadores a recibo verde e mandando os primeiros para o olho da rua (sem direito a nada, nem subsídio de desemprego, como é óbvio) e o que sei sobre os cursos, é que servem, basicamente, para encher chouriços e dar uns subsídios àquele pessoal que anda lá há mais de dez anos a tirar curso atrás de curso, porque trabalhar faz calos. eheheheh
    Uma palhaçada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem dito. Inventam cada coisa. Eu sei que aos olhos deles eu sou uma desgraçada que nunca trabalhou, mas na verdade, já trabalho há 5 anos. Então eles pensaram, ah e tal vamos pô-la a fazer algo medíocre, porque com certeza não tem capacidades para mais. -.-
      Como já escrevi no facebook, o problema não é procurar trabalho, é achá-lo.

      Eliminar
    2. É um sofoco.
      Em setembro de 2013, esse drama entrou-me em casa.
      A minha filha (o tal familiar que deu formação no IEFP), a três dias de começarem as aulas foi informada que não tinham turmas para ela. Deu formação (português/inglês) no IEFP desde 2006, decontou sempre 25% de IRS e, ultimamente, pagava 310€ de segurança social, o que inviabilizava qualquer trabalho a recibo verde inferior a 1000€, ou então andava a trabalhar para o boneco.
      Conseguiu um emprego fora da área do ensino (com os primeiros 3 meses em formação paga a 3€/hora) e desde janeiro que tem um contrato para trabalhar 6 horas (das 18 às 24). Entretanto conseguiu um part-time num colégio particular, a recibo verde e vai dando umas explicações por fora.
      É desmotivante andar 6 anos na faculdade (4 de licenciatura, e 2 de profissionalização), para agora trabalhar 10 horas por dia e andar com os "tostões" contados.
      E ainda há quem tenha orgulho na seleção...

      Eliminar
  2. oi, não te conheço mas percebo-te. há um par de semanas fui "convidado" a participar numa dessas formações. depois de todos os wtf's e mais alguns acabei por descrever a assertiva formação ao longo de longos post's. foi uma espécie de catarse: entediava-me durante as cinco matinais horas e depois distraía-me a descrevê-las.
    saúdinha-da-boa e paciência-da-melhor, éme.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahah Eu quase que chego ao mesmo ponto. Mas depois estar a descrever ia-me inutilizar mais 2 horas do dia...

      Eliminar
  3. Não tem nada a ver com o post, mas se não fosses do Porto ía jurar que te vi num restaurante cá em Lisboa na 6ª feira passada, dia 20. Era mesmo parecida contigo e ainda fiquei a pensar: "Será a Magda?" loool

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sósias minhas?? Isso é plágio!!! :O
      :) Gostava muito de dizer que estava aí para baixo, but not!

      Eliminar
  4. Já fiz esse mesmo curso!!! E como parece seres do Porto,como eu, ás tantas fazes no mm local k eu fiz!!!
    Lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estou no IEFP de Gondomar. Não é o que fica ao lado do silo. :)

      Eliminar
  5. Eu felizmente só estive inscrita uns meses por isso não cheguei a ir a nenhuma formação. Tenho amigas que fizeram essas formações e elas bem disseram que não valia de nada. Boa sorte para o teste :)

    ResponderEliminar
  6. Comunicação assertiva e técnicas de procura de emprego??? Inventaram outro nome? Quando eu estagiei no IEFP, inventaram uma medida nova denominada Vida Ativa que servia, literalmente, para nada! E sim, os formandos também tinham teste. No fundo, acho sinceramente, que serve para sinalizar casos em que as pessoas trabalham e recebem o subsídio de desemprego ao mesmo tempo. Mas compreendo sim a falta de vontade das pessoas em frequentar essas formações.

    http://finddyourway.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Read, comment, repeat!