30 de junho de 2014

Ontem chorei imenso e a culpa é das estrelas

Imagem retirada deste site

Opa, que filme lindo e comovente. Eu sei que olhando para mim, ninguém acredita que eu deite uma lágrima sequer, mas eu passei o filme todo a chorar. Não foi a choramingar, não! Foi mesmo um dilúvio. 

Grande parte dos bloggers que sigo têm vindo a falar do livro, o mesmo que vou comprar asap, por isso quando vi que tinha saído o filme, não hesitei em ir vê-lo. Completamente às escuras, sem saber do que se tratava. E fui surpreendida com uma bonita história de amor entre Hazel e Augustus, ambos vítimas da maldita doença da moda: o cancro.

Assim que comecei a ver o filme, percebi como seria o desfecho, todavia, a história é tão envolvente e sentimental. O filme está bem feito, muito bem editado, a atriz Shailene Woodley é muito bonita, Ansel Elgort (Augustus) tem um grande carisma, a história é triste e doce em simultâneo...adorei! Já há muito tempo que não ia ao cinema e ficava satisfeita com o filme. Mas tal como o P.S. I Love You, não voltarei a ver, porque é baba e ranho do príncipio ao fim. 
Espreitem o trailer!!



I'm in love with you, and I'm not in the business of denying myself 
the simple pleasure of saying true things. 
I'm in love with you, 
and I know that love is just a shout into the void, 
and that oblivion is inevitable, 
and that we're all doomed and that there will come a day when all our labor has been returned to dust, 
and I know the sun will swallow the only earth we'll ever have, 
and I am in love with you.

 John GreenThe Fault in Our Stars


Quem já foi ver o filme e quem já leu o livro?

muah*


28 de junho de 2014

Vou só ali adotar um bébé e já venho

Ir à Segurança Social sem um bébé, é como ir pagar a conta da luz sem dinheiro...não vamos sair dali com o problema resolvido. 

Esta semana fui à Segurança Social da minha muy humilde terrinha, que tem mais 'gunas' por metro quadrado do que espaços verdes, e tinha apenas (apenas!) 50 pessoas à minha frente. Isto no atendimento geral. Porque quando se passa ao prioritário, acrescentam-se outros tantos. 

Mas como tinha mesmo que ir buscar uma declaração, fui tratar de outros assuntos e depois voltei à instituição em causa. Reparei que já ia no 142 e eu era o 172, nada mal, até estava andar rápido. Supus que metade das pessoas desistiu. 




Pois, supus mal. Na verdade, dado o número de 'prioritários' que surgiu, percebi que afinal cada elemento de um casal tinha ido a casa buscar uma criança de colo, dois miúdos de 4 e 6 anos de arrasto, a avó a coxear e um cãozito, que teve que ficar á porta, porque afinal não contava para 'ter prioridade'.

E então eu e a D. Amélia (minha fiel companhia das horas chatas) ficamos ali a lamentar-nos de não termos levado ninguém para também termos prioridade. Ainda pensei pegar num dos muitos miúdos que ali andavam e levá-lo ao colo para ter prioridade. Desconfio que nem dariam pela falta dele. Mas depois repensei e se realmente se notasse a ausência da criança, ainda saía dali a coxear, tamanha seria a coça, e aí já teria prioridade pela certa. 

muah*





26 de junho de 2014

Como perder tempo precioso em 8 passos!


1º passo: Inscrevam-se no IEFP durante 2 anos e aguardem nunca serem chamados para entrevistas de emprego. 

2º,3º,4º,5º,6º,7º,8º passos: Sejam obrigados pela mesma instituição a fazer uma formação, denominada 'Comunicação assertiva e técnicas de procura de emprego' durante 7 manhãs. 

Eu sei que é só a segunda manhã de formação, mas eu sou precoce nas reclamações. Ainda não aprendi nada de nada e estar 4 horas a aprender nada de nada é doloroso. Tão doloroso, que mal saí, fui afogar as mágoas num éclair. Não, não tirei foto. Só me lembrei de vos mostrar o bolinho, quando ele já estava a ser desintegrado pelos meus sucos estomacais. 

É bem mais interessante o pacote do éclair amassado do que as aulas do IEFP


É um curso de 25 horas (graças a Deus, que podia ser bem pior), as minhas opções de escolha era 'fazes agora ou fazes depois, mas fazes' e, apesar de ser uma turma agradável, com pessoas de diversas áreas de formação, cultas e sociáveis, a verdade é que eu podia estar no meu trabalhinho (para todos os efeitos não trabalho) ou a dormir, em vez de estar a fingir que desenvolvo novas competências. A formadora também é excelente, muito boa comunicadora e estou aqui a escrever isto a ver se lhe dou graxa e tenho boa nota no teste. Não, não estou a brincar, há teste! 

Enfim, amanhã há mais. Wish me luck...and patience. 

muah*


24 de junho de 2014

A sua namorada sabe do seu outro relacionamento? 

Um casal, mais duas mulheres e um homem. Um casal, três homens e uma mulher. Altere a ordem, acrescente ou retire elementos à combinação. Qualquer uma delas poderia ser a sua relação. Poligamia? Não! Poliamor! Estranho? Apenas para quem não conhece.

A prática do poliamor não é, ainda, muito conhecida, e é várias vezes confundida com uma relação aberta. A diferença está na intensidade dos sentimentos. Na primeira, os relacionamentos são consentidos e existe uma ligação emotiva. Na segunda, apenas existe ligação sexual, por norma casual.

Quando me falaram disso não estranhei. Era um termo novo para mim, mas uma realidade já conhecida, apenas sem nome. Se sou a favor? Deixo-vos essa questão. Acham que sou a favor ou contra este tipo de prática amorosa? Uma coisa é certa, adorava entrevistar pessoas nesta situação.

O mais importante de tudo é existir honestidade. Tudo o resto se desenvolve de forma natural e dita normal, como em qualquer outro relacionamento. Há momentos bons e momentos maus, partilha, entrega e amor.

Gostei do tema e decidi trazê-lo até aos visitantes do meu blog. E vocês, o que acham? São a favor ou contra?

Imagem retirada do P3 - Público


Vejam mais sobre este assunto nos links que se seguem:

-http://p3.publico.pt/category/free-tags/poliamor
-http://activa.sapo.pt/sexo/2014-04-11-Poliamor-Como-e-viver-o-amor-a-tres-a-quatro.-
-http://polyportugal.blogspot.pt
-http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=1031151&page=2
-http://sicnoticias.sapo.pt/especiais/40anos25abril/2014-04-05-um-caso-de-poliamor-que-assume-a-liberdade-de-escolha
-http://www.poliamor.pt

muah*


22 de junho de 2014

Que sociedade é esta em que vivemos?

Que sociedade é esta, em que sou criticada por procurar um caixote do lixo para deitar fora a pastilha elástica, quando seria muito mais fácil atirar para o chão?
Que sociedade é esta, em que o empregado do restaurante me quer obrigar a comer fiambre, serve-me fiambre, insiste que fiambre não é carne e ri-se na minha cara, quando lhe repeti incessantemente que não como carne?
Que sociedade é esta,  em que uma vizinha charlatona usa e abusa de um carro que não é seu, sem autorização e ainda coloca um rádio de livre e espontânea vontade e exige que a reembolsem? 
Que sociedade é esta, em que um autorádio usado de 1900s e troca o passo, custa 80€? 
Que sociedade é esta, em que as pessoas vão ver um concerto a convite (frise-se, de borla), mas não deixam passar quem está em trabalho?
Que sociedade é esta, que pensa que trabalho com idosos por interesse no que me possam deixar depois da morte?
Que sociedade é esta, que tem a distinta lata de me dizer para me aproveitar dos que me fazem bem?

Que sociedade é esta, que exige personalidades fabricadas em série, desprovidas de valores e de vontades? É difícil defendermos os nossos ideais, quando toda uma sociedade se transformou numa gigante bola sem carácter, que faz ou diz aquilo que os outros querem ouvir, que fala mal dos amigos e dos inimigos em forma de dominó: a peça que segue é sempre vítima da anterior! 
Recuso-me a corroborar com mentes fracas, É nestas pequenas coisas, ninharias do dia-a-dia, situações que deveriam passar despercebidas perante o grandiosidade da vida, que percebo que para impôr a minha vontade, terei que passar muitos dissabores.
Não tenho jeito para hipocrisia, nem tempo para agradar aos outros. Peçam-me para agradar, quando eu estiver a trabalhar, porque aí sim, quero ter um bom desempenho, value for money. Extra a isso, mantenho as minhas convicções. 

Em jeito de desabafo! 

muah*



20 de junho de 2014

Shimbalaiê, que Maria Gadú veio a Portugal



Ontem foi dia de concerto no Coliseu do Porto. A conhecida cantora de música popular brasileira voltou a Portugal para dois concertos nos coliseus: do Porto e de Lisboa.



Meu partido
É um coração partido
E as ilusões
Estão todas perdidas
Os meus sonhos
Foram todos vendidos
Tão barato que eu nem acredito
Ah! Eu nem acredito


Meus heróis
Morreram de overdose
Meus inimigos
Estão no poder
Ideologia!
Eu quero uma pra viver
Ideologia!
Pra viver



Foi com "Ideologia", da autoria de Cazuza, que a cantora deu por encerrado o concerto. Aliás, o repertório foi quase todo baseado nas músicas do cantor e poeta brasileiro, já falecido, vítima de AIDS (como ela própria o disse e da forma que o disse). 

Fiquei ligeiramente desapontada com dois aspectos. A sala pouco cheia e a falta de originais da artista. Todas as músicas eram de outro alguém. Todavia, Maria Gadú tem uma voz fantástica e é muito divertida. Dizia ela que, quando começou o Mundial, os manifestantes gritaram contra Dilma "vai tomar no cú".  Segundo a cantora, isso é algo muito feio de se dizer, principalmente se a pessoa não aproveita e vai mesmo!

Mário Rodrigues, dono de uma voz fantástica, abriu o concerto com os seus belos fados e bom humor! Fiquei fã. 

Podem encontrar a reportagem do evento aqui e outras mais no site Noite e Música Magazine. 

muah*






16 de junho de 2014

E o que é que eu percebo de futebol?

Nada!! Mas quando Portugal joga, até treinadora de bancada sou! Meu Deus! Grito quando há falta ou golo (o que hoje não aconteceu), sofro com as remates e até dou palpites! E aqui no trabalho, ninguém ficou indiferente ao meu nervosismo. Comprei uma bandeira e tudo. E para quê?? Hum? Eu e o tio Antunes de bandeiras em riste...para nada!

E o que é que eu acho do jogo? Ora, entendedora como sou, acho que o Raúl Meireles é giro, mesmo com aquela barba e que o João Pereira é um ninico (nem o conhecia) e que o Muller parece o tio Manuel da Ilha das Cores, um programa para crianças que passava na RTP2.

Muller ou tio Manuel (Ilhas das Cores) - imagem retirada da internet
E gostei daquele remate que a Alemanha fez, depois do Pepe ser expulso, em que parecia que estavam a fazer uma dança. Vai um, depois outro, depois mais um e só o quarto é que remata. Vou usar isso numa coreografia! E aquilo do Pepe era um miminho, também dou turrinhas à minha irmã. Claramente, ele não fez qualquer movimento brusco. Puff!!


Ah e o árbitro é ladrão!!! Ladrãooooooooo!! Fica sempre bem dizer isto, a culpa é dele, de certeza! buhhhhh!
Depois do quarto golo achei melhor parar de ver o jogo e vim escrever este post. Agora vou estudar um bocadinho e só daqui a uns dias volto ao facebook, porque deve ser a altura em que os comentários sobre o jogo começam a desaparecer. xD
Começamos a perder, para terminaramos o Mundial a ganhar. Tenham fé! ;)

muah*


15 de junho de 2014

Fui ver um filme muito bom ao cinema

Mas não me apetece falar disso. Apetece-me ter um momento narcisista e mostrar as fotos do desfile de Lousada. São imensas...imensas...quer dizer...algumas...poucas, vá!
Desfilei com três modelitos, mas não tenho fotos oficiais da passagem em bikini. Todavia, tenho fotos dos bastidores.
O desfile Moda Lousada foi muito bem organizado, com roupas lindíssimas de lojas igualmente bonitas. Podem encontrar os links para as respetivas lojas na legenda de cada foto.


The Closet - foto de Pedestal de Ideias   

Elimar Lousada - foto de Pedestal de Ideias 
Com a minha menina, que ainda vai ser famosa, vestidas por Elimar Lousada
Bikini da loja Trivela - artigos de desporto (este upload está lento, ufa  xD)
The Closet - Adorei a menina desta loja e as roupinhas :)
O grupo das meninas e dos meninos do desfile :)
E a giraça de cor de rosa, na frente, foi uma das responsáveis do desfile.



Adorei participar e adorei as pessoas que conheci. Este post já vem um bocadinho fora de tempo, pois o evento foi a 30 de maio. Mas gostei tanto, tanto, que não queria deixar de falar do mesmo.
Espero que gostem!

muah*


13 de junho de 2014

Se meu Nandinho fosse vivo...

fazia hoje anos. :)  Fernando Pessoa nasceu a 13 de junho de 1888 e morreu a 30 de novembro de 1935. Nem esperou para me conhecer...

Adoro os seus textos, os seus melodramas, todos os seus subentendidos e bem entendidos, os seus múltiplos eus. Fico muito babada quando me dizem que me assemelho a ele a escrever. Mas o que ainda me falta para ser assim, genial. Sempre ouvi dizer que 'de génio e de louco, todos temos um pouco'. Ele é a personificação desse dito popular. 

A minha agenda de 2014, pela qual me apaixonei de imediato, mas o sr. da Bertrand não ma queria vender, pois dizia ser fatela. xD

Desde os 8/9 anos que sei de cor o poema Mar Português, ainda mal eu 'conhecia' o grande poeta e escritor. É dos que mais gosto, mas não só. Dos seus heterónimos mais conhecidos, o meu preferido é Alberto Caeiro. 

Vocês gostam de algum em especial? Ou desgostam de todo de Fernando Pessoa?

E tarda, mas não falha. Aqui está o link para a reportagem sobre Mundo Segundo. Espero que gostem!

muah*


8 de junho de 2014

Fui ao casting da RTP e agora?

Eu não queria ir, a sério que não!! Até à hora de jantar de ontem eu recusava-me a fazer tal coisa. Mas fiquei a pensar que nunca tinha ido a um casting assim, que nunca tinha feito nada de género. E a inércia é algo que não me assiste, por isso, hoje levantei-me às 5.30 da manhã para ir aos castings da RTP, no Porto. Pelo menos, posso dizer que experimentei. 


Então, juntou-se a maluquice à loucura e ao devaneio, quem é como quem diz a Irina à Soraia e à Magda, e lá fomos as três. Cerca das 6:40 da manhã, já estavamos a marcar lugar na fila que se formava à entrada dos estúdios da RTP. Ficamos num bom lugar e de certo iriamos entrar cedo. Cada vez chegavam mais pessoas e a fila já ia longa. Quando chega a nossa vez, reviravolta total. Quem não tinha número atríbuido do dia anterior tinha que ir para o fundo da fila. Para o fundoooooo! Aquele que já ia lá longe. E de cada vez que chegava alguém com número, passava-nos à frente...


Mas pronto, nós aguentamos o sono, o frio e a ansiedade e por volta da uma da tarde entramos para a apresentação. Foi rápido. Rápido demais, diga-se. Não acho que me tenha corrido mal, no entanto, tenho a certeza absoluta que não passo à segunda fase. Não fico triste, nem desanimada. Foi uma experiência e desejo toda a sorte do mundo às pessoas que tentarem a sua sorte. 


O que se passou lá? Tivemos que improvisar. Eu 'fiz dois diretos', mas tudo depende da pessoa que faz o casting, do que vos pergunta, dos vossos interesses, etc etc. Eu tive que falar imenso de Gondomar, porque sou de lá (tanta coisa engraçada e motivante para falar e olha, saiu-me isto). 

Se vocês também vão arriscar, aconselho a manterem a calma, não se produzam demais, mas também nada de irem desleixados e sejam vocês mesmos. ;)  Boa sorte!

(estou a trabalhar direta e o soninho não me larga, por isso se encontrarem incoerências gramaticais, não me batam). xD

muah* 


6 de junho de 2014

Stromae, est-ce que tu veux être mon maestro?

Stromae, queres ser o meu maestro? Pergunto isto enquanto bato as pestanas incessantemente. :)

imagem retirada da internet

Eu não sei se os portugueses estão elucidados quanto a este cantor e produtor belga, uma vez que nunca vi ninguém postar músicas dele ou falar de tal. Eu acho-o formidable e custa-me eleger as músicas que mais gosto. 



Ah e tal, música em francês? Ninguém ouve isso!! Mentira, porque tal como eu estou viciada, pelo menos 5 259 367 também (e o número de gostos no facebook dele). Stromae tornou-se conhecido com a música Alors on Danse, música que esteve em primeiro lugar ao longo de várias semanas em quase toda a Europa. Eu fiquei a conhecer com os meus amigos franceses, em erasmus. Era o nosso hino.


Eu acho que Paul Van Haver, nome verdadeiro, tem um bocadinho da exuberância de Lady Gaga. Este vídeo é a prova disso (tive que colocar o link, porque aqui o blog não me deixa colocar o vídeo mesmo -.-). Na cerimónia de entregas de prémios da música, em Cannes, Stromae encarnou a personagem do videoclip correspondente e foi carregado ao colo por dois seguranças, tal como um boneco inanimado. O Will.i.am é que não canta nadinha, nem entendo o que ele diz. 

Esta música é baseada na história de vida de Stromae, que não conheceu o pai, nem este o assumiu como filho. Sabe-se que trocava correspondência com a mãe do cantor, até ao dia em que desapareceu misteriosamente. Só passado uns anos é que se soube que tinha morrido nos massacres étnicos de Ruanda, em 1994. 


Curiosidade: Stromae é a inversão das sílabas de maestro. Em Paris, os jovens têm uma linguagem muito própria, conhecida como verlan, que consiste na inversão das sílabas de uma palavra.

 
Passem logo para 00:50 e depois vejam também o videoclip original desta música. Ele é metade homem, metade mulher.

Concluindo, estou à espera do dia em que me vão chamar para fazer uma reportagem e até entrevista aqui ao jeitoso. 
Vou só ali suspirar e já volto!



muah*



4 de junho de 2014

Alguém me explica a ventania que vai na cabeça de algumas pessoas?


Tipo, vais a uma loja dos chineses comprar umas coisinhas, coisa pouca. Tipo, estás na fila para pagar e chega uma senhora de saco plástico numa mão e uma camisola na outra e mete-se à tua frente. Tipo, da última vez que te viste ao espelho não era insvísivel. Tipo, ela olha para ti e diz: "Ah, está na fila?" Um aceno de cabeça e um sim seco deve dar para perceber. Tipo, ela sorri e grita para o chinoca: "Fachabor, quero fazer uma troca. Mas esta menina está à minha frente." Balão de pensamento em cima da cabeça do chinoca: "Sim e eu estou a atender outra pessoa".
Tipo, senhora da troca chega-se ao balcão, aprancha-se com as suas tralhas, olha para mim e diz: "Eu vim para aqui, mas a menina está à minha frente". Eu sei, obrigada! Tipo, o chinoca termina o que está a fazer e dirige-se a ela. Ela apanha o lanço e começa a sua transação. Tipo, tive que lhe lembrar que ainda estava à frente dela. Ficou chateada!!!! Ficou a ruminar qualquer coisa que me pareceu mais chinês que o idioma do outro.

Disse tipo muitas vezes? Peço desculpa!

E aquela cena em que está um tráfego do caneco, mas ao som das sirenes de uma ambulância, todos os carros se arrumam? E vem um murcão, sabe-se lá de onde, e mete-se nesse mesmo espaço, passa à frente de todos e depois bate na testa, porque não se tinha apercebido que os carros estavam só a arrumar-se para a viatura de emergência passar?

Menos pf!

muah*


2 de junho de 2014

Entrevista, rap & Happiness


Perdoem-me! Tenho andado desaparecida da blogoesfera. Mas, graças a Deus, por bons motivos: muito trabalhinho. Estou cansadíssima e muito satisfeita. Gostava de poder dar já todas as novidades, todavia ainda não tenho as fotos oficiais do desfile de sexta passada, nem o link da reportagem que falo abaixo. Logo que tenha, mostro aqui. Para além disso, vou ver todos os textinhos que perdi nos blogs que sigo. :)



Entretanto, sábado fui fazer reportagem ao Hard Club, sobre o lançamento do segundo álbum de originais do rapper portuense Mundo Segundo. Como o próprio referiu, o artista e a banda de que faz parte - Dealema - são mais conhecidos na zona norte, contudo, acredito que muitos o(s) reconhecerão noutras zonas do país. Afinal de contas, ele percorre o nosso Portugal em atuação e tem músicas com Sam the Kid, Poeta de Rua e um sem fim de artistas de rap.

 
Raio de luz - single de lançamento do álbum "Segundo o Ancião" com a particpação de NBC


Foi o concerto mais longo a que assiti desde que estou nestas andanças pela Noite e Música Magazine, porque teve Sacik Brow e Simple a abrir o espetáculo e só as quatro da manhã saí de lá (nada de mal, se não fosse o facto de eu entrar ao trabalho às 9:00).

Os Dealema fizeram parte da minha adolescência, confesso. A louca da minha grande amiga Carina adorava as músicas deles e então passou-me o bichinho. Uma das músicas que ela me dedicou foi a do vídeo abaixo e ainda tem muito significado, apesar de hoje em dia não acompanhar o grupo, nem estar muito na onda deste tipo de som. :)



O Hard Club estava a abarrotar e eram, na sua maioria, adolescentes. É a fase da rebeldia que nos leva a gostar tanto destas músicas que falam da vida em forma de rima.
O espetáculo teve, ainda, a presença de Deau, Maze, Guito Maldiva e Elisabete Silva, ex-concorrente do programa ídolos.

Falando de outros assuntos igualmente sérios: a entrevistadora foi entrevistada pela A Pipoca Arrumadinha. Visitem. Além de ser um blog muito interessante, tem um bocadinho de mim aqui.

muah*