18 de maio de 2014

Dormência*

*ficção

Deixaste todos os meus sentidos dormentes! Não quero ver, não quero ouvir, não quero sentir. Nem provar, nem cheirar, nem tocar... Quero apenas ficar neste torpor que me tolhe o corpo e a alma. 
Não quero sair da cama, porque nem forças tenho para enfrentar o meu reflexo no espelho, cabisbaixo, com olheiras, sem um sorriso, que me olha do outro lado com olhos tristes e pesados e me repreende: Bem feito! Baixaste as tuas defesas a umas miséras promessas, agora lida com as consequências. 

Palavras, só palavras, que não correspondem a atos. Que desilusão! Que sufoco! Que tristeza tão grande!

Afinal não estava inócua, afinal tu não és como dizias ser, afinal consegues viver sem me ver, sem me ouvir, sem me falar, sem sentir meu cheiro,...
Afinal o teu coração tinha dono!

Quero sair deste estado dormente...quero berrar, arrancar os cabelos, começar tudo de novo. E da próxima vez não vou falhar!!! Não vou...Não vou!!

Claro que vou! Faz parte da condição feminina acreditar que o consegue mudar...




(Desculpem, mas ando no vício das pulseiras) xD 
muah*



2 comentários:

  1. Um texto brilhante, gostei imenso! As vezes falta as forças, mas é preciso levantar e continuar a lutar :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar

Read, comment, repeat!