30 de abril de 2014

Porque se colocam maias nas portas?


Nunca se questionaram o motivo para as nossas mães e avós andarem feitas tolas nas moitas a apanhar estas flores, assim que se anuncia a chegada do mês de maio?

Eu sim (às vezes tenho mesmo pouco em que pensar...). Lá em casa dizem que é para o diabo não entrar no nosso lar e algumas pessoas mais idosas dizem que é para que não falte o pão em casa. Ora, curiosa como sou, pesquisei e encontrei diversas explicações, tanto de origem pagã como de origem cristã, ainda que me pareçam um pouco descontextualizadas. 



Segundo a Bíblia, Herodes soube que a Sagrada Família (Maria, José e o Menino Jesus) estaria a pernoitar numa aldeia do Egito e, como a sua intenção era matar o Menino Jesus, ameaçou eliminar todos os bébes que encontrassem. Para se evitar tal chacina, foi proposto colocar-se maias na porta onde a família estaria hospedada, de modo a que os soldados soubessem qual a casa onde estaria o menino destinado à sentença de morte.

Todavia, para espanto dos soldados, de manhã, ao chegarem à aldeia em questão, encontraram todas as casas com maias à porta, pelo que não lhe foi possível matar o menino. 

A minha questão quanto a esta é: então porque não recorreram ao plano original e mataram todos os recém-nascidos?

A outra sugestão é semelhante à anterior, mas ao invés de Jesus ser um recém-nascido, ele teria 33 anos. Ou seja, foi por altura da sua crucifixação. Para que os romanos o encontrassem, Judas colocou um ramo de maias na porta onde Jesus estaria com os seus díscipulos, denunciando-o. Todavia, por milagre, todas as casas apareceram cheias de maias - janelas, portas e estábulos.

Ainda na linha cristã, diz-se que no caminho para o Egito, Maria semeou giestas para, mais tarde, saber o caminho de volta. 

Quanto à origem pagã, está relacionada com o culto dos deuses da fertilidade e ritos de prosperação de bens agrícolas.

Alguém tem uma versão diferente desta tradição?

muah*


23 de abril de 2014


Para além das 5


Eu sou defensora de que não devemos estar sempre a falar do passado, mas quando o motivo é bom, porque não relembrar?

No meu último ano de faculdade (2011/2012 - nossa, como estou a ficar velha!) tive que preparar, em grupo, um seminário relacionado com a temática da comunicação. O tema foi simplesmente maravilhoso: falar do talk-show "5 para a meia-noite". 


Da esq. para a dir.: Nani, Irina, Teresa (em baixo), Luís Filipe Borges aka Boinas, António Raminhos, Soraia (em baixo), eu, Filipa e Luís Humberto Marcos, coordenador do curso


Os convidados presenciais foram Luís Filipe Borges, um dos apresentadores do talk-show, e António Raminhos, ator e humorista no mesmo programa. Para além disso, contamos com  o testemunho de Fernando Alvim, ex-apresentador do "5 para a meia-noite", via skype.




O meu grupo era grande, mas funcionou muito bem. Quem diria que seis mulheres conseguiriam interagir de forma tão ordeira? :)
Foi muito trabalhoso, do príncipio ao fim. Desde o dia em que decidimos ir a Lisboa convidá-los a participarem na palestra até ao dia em que entregamos o material de todo o seminário, ao diretor.
Mas eu voltava a repetir a experiência novamente. Foi um grande desafio e uma grande vitória. Chegamos ao fim satisfeitas com o resultado. O seminário tinha sido um sucesso - o auditório esteva cheio, a audiência estava ao rubro e tudo correu pelo melhor. Houve muitas gargalhadas e até dança!

Não acreditam? Vejam o vídeo então! :)
Só tenho pena de não ter o desafio do Borges editado para colocar aqui também, que foi escrever um texto humorístico a partir de palavras dadas pelo público. 


Qualquer semelhança entre mim e a apresentadora loira e a dançar como quem tem um AVC, é pura coincidência! 




Tivemos muita sorte com os convidados, que são muito simpáticos, muito acessíveis e muito entusiastas.
Desejo-lhe o maior sucesso do mundo! E que um dia possamos repetir. (E vou parar por aqui, porque já estou a ficar nostálgica).


muah*





21 de abril de 2014

A imigração rouba almas

A imigração rouba sonhos aos licenciados, rouba licenciados ao país e rouba o país de um futuro económico sustentável, repleto de licenciados que se tornarão, se já não o são, bons profissionais.

Todos os meses, centenas de recém-licenciados saiem do país à procura de uma oportunidade na sua área profissional e de um lugar onde possam demonstrar os seus conhecimentos e desenvolver competências. Fogem das vagas como caixa de um supermercado ou das lojas de roupa que tem contratos mal definidos, como o diabo foge da cruz!



Mas pior que roubar sonhos, profissionais, competência e satisfação pessoal, pior do que roubar filhos aos pais e futuros pais a Portugal, roubar irmãos, netos e amigos..a imigração rouba almas...
Desconfio que por detrás de todas aquelas fotos na Tower Bridge e ao lado do Big Ben, na O'Connell street, com a Torre Eiffel como pano de fundo ou com as inúmeras telas que servem de apoio à identificação do país que os acolheu, está apenas uma tentativa de mostrar que estão felizes. Longe dos país, da comida caseira, das atividades banais que em Portugal existem em todo e qualquer lugar e que no estrangeiro não. Lá fora, tudo difere em larga escala...



Eu também vivi no estrangeiro e também tirei essas fotos. Eu também me sentei no Temple Bar, nos Giant's Causeway, junto da Spire of Dublin. Também quis mostrar que estava feliz... A diferença é que verdadeiramente estava! E com certeza muitos sê-lo-ão. No entanto, há outros tantos que têm a mágoa de ter que deixar terras lusitanas, depois de uns curtos quinze dias de férias, em busca de qualidade de vida, trabalho, dinheiro, enfim, um futuro!

Mas digo e repito que a imigração rouba almas...quem vai, já não volta igual. É triste, amargurado... 


Foi assim que perdi uma amiga, foi assim que ela perdeu a sua essência. Já não a reconheço, já não me identifico. Uma nova personalidade surgiu e eu não sei como lidar com ela. Não por falta de tentativas, mas pela barreira criada, a imoralidade, o orgulho.

É de um grande vazio e tristeza. Pergunto-me: será que valeu o sacrifício? Encher os bolsos e esvaziar a alma?




muah*




18 de abril de 2014

The Tiger is out of the cage


Já conhecem a loja Tiger? Uma loja de utilidades, que apresenta produtos variadíssimos e com um design diferente?

Tiger no Norteshopping - fotos do facebook da Tiger Stores

De sua origem na Dinamarca no ano de 1995, a Tiger foi caminhando devagarinho até chegar a outros países, tendo agora cerca de 300 lojas em 19 países. Está presente em Portugal desde 2012.


Tem preços acessíveis e produtos únicos. Uma caneta, aqui, pode ter o formato de um batom, de cacto ou até de mão. Tem produtos DIY, como puzzles em branco à espera de um desenho ou capas de cadernos. Tem um bocadinho de tudo. Já não é a primeira vez que compro lá algumas coisinhas, mas só agora me ocorreu que devia partilhar com os outros o meu encanto pela loja. 

Esta semana comprei a capa para o telemóvel que está no canto superior esquerdo da imagem (é para o iPhone 5, mas dá para a minha imitação rasca do mesmo) e a tábua de cozinha flexível. Estou completamente babada pela capa!! *.*  As capas existem em mais feitios e formatos (tem uma em forma de cassete que é adorável). 

Capa para telemóvel


Tábua de cozinha flexível

Agora quero ir lá buscar uns óculos de sol. Tem uma panóplia de modelos tão vasta que não me conseguia decidir. As fotos (retiradas do site da loja) não fazem justiça à quantidade de modelos lá existentes. 




E tem, também, utensílios de cozinha muito bonitos e diferentes, algo em que gosto de investir dinheiro. Espreitem o flyer deste mês aqui

Na zona norte, a Tiger está no Norteshopping e Arrábida Shopping. 



Quero aproveitar para dizer a quem é completamente maluco por livros, como eu, que a Fnac está com descontos até 50% em todos os livros, até ao dia 23 deste mês. Eu já tenho mais um menino que já me está a deixar ansiosa para o ler. Depois mostro. :))


muah*




16 de abril de 2014

A resistente Resistência, duas décadas depois



A Casa da Música recebeu a mítica banda de pop, jazz, rock e música popular, Resistência , ontem dia 15 de abril. Numa versão mais madura, os artistas de renome português tocaram os recriados e transformados êxitos de outras bandas portuguesas, dos quais alguns fazem parte, numa versão mais próxima do espectador. 


As músicas são boas e conhecidas, mas na minha opinião...eu não pagaria para assistir ao espetáculo. Perdoem-me os aficcionados por estes artistas, mas a verdade é que tanto músico em palco, nove deles envergando um instrumento musical, fez-me uma terrível confusão. É uma barafunda e é pouco estético. Além disso, achei o espetáculo parado e entediante.



ver artigo aqui




Se lerem a minha reportagem, o que escrevi difere do que aqui escrevo. A minha opinião enquanto individual não inviabiliza o que vi enquanto 'jornalista'. 


Todavia, adorei ouvir o Miguel Ângelo a cantar. Ele tem um vozeirão fenomenal. Não desfazendo, porque o Tim e o Olavo Bilac também têm uma belíssima voz. Só que esses eu já tinha escutado ao vivo, o Miguel A. não e, por isso, foi uma agradável surpresa.


Quem discorda de mim?

muah*






14 de abril de 2014

Se eles fizerem miau...


...vocês adotam-nos??




A minha Amber é uma safada e, então, deu-me mais bébés. São lindos e uma gracinha!! :)
Já começaram a explorar a casa e a brincar comigo ou uns com os outros. Têm pouco mais de duas semanas (nasceram no dia 27 de março)  e, por isso, não estão aptos a deixar a mãe, mas logo que estejam aceito famílias que queiram fazer adoção responsável. 
São dois meninos e duas meninas!


O pretinho e o que ele tem as patas em cima são machos e as outras duas são meninas.

Fêmea

Macho

Fêmea - muitooooo brincalhona


Macho - o que mais gosto! *.*








Não me agrada a ideia de vender animais, até porque os meus gatos têm um valor incalculável! xD
Todavia, peço a quem os levar que contribua para que eu possa esterilizar a minha gata. É uma operação cara e que foge muito ao meu orçamento.

É de salientar que a mãe é irlandesa, tem chip, passaporte, mia em 3 idiomas, adora legumes, como eu, e defende-me quando alguém me ataca (exceto quando é ela própria a atacar-me)! :)  

Amber


muah*



13 de abril de 2014

O berço da nação - quick visit




Ontem fui, mais uma vez, visitar a cidade berço de Portugal. Fui em trabalho (e que trabalhão que tive) e, portanto, não tive grande oportunidade de explorar a cidade. Mas adoro, adoro, adoro este concelho. As ruas e estabelecimentos estão decorados com tanto aprumo e gosto e a estrutura arquitetónica é variadíssima. Ainda para mais esteve um dia lindo, típico de primavera, que finalmente decidiu dar sinais de vida. 

Mas melhor que palavras, só mesmo as fotos para falarem por mim.

Largo Condessa do Juncal



Monumento de homenagem aos ourives de Guimarães










Igreja de São Pedro
Largo do Toural
Sapataria à antiga no Largo Condessa do Juncal

Muralha medieval da cerca da então vila de Guimarães
Paço dos Duques de Bragança


Igreja de Nossa Senhora da Oliveira
Padrão do Salado
Antigos Paços do Concelho






Convento de Santa Clara, agora Câmara Municipal do concelho
Laboratório das Artes




Quem gosta muito desta cidade?

muah*